Buscar
  • blanco

Fotos no mundial de surf

Faça o que eu digo e faça o que eu faço: algumas dicas para registrar campeonatos.


Nat Young, Postinho.

Com o mundial de surfe chegando ao Rio, chega também uma ótima oportunidade para registrar bons surfistas. Então, resolvi passar algumas dicas que observei depois de alguns anos fotografando o mundial de surfe e outros campeonatos.


Campeonatos são cenários bem diferentes dos que estamos acostumados no dia a dia. Em se tratando do mundial, a praia vai estar sempre muito mais cheia, com todo o tipo de gente, inclusive fotógrafos. Não é fácil conseguir uma foto boa e diferenciada, vou tentar dar dicas tanto para boas fotos quanto para diferenciadas.


A primeira parte dessas dicas ( faça o que eu digo ) é sobre questões básicas e padrões da fotografia, na segunda parte ( faça o que eu faço ) vou falar sobre criatividade e alternativas para desenvolver um trabalho diferenciado, o que costumo tentar fazer nesse tipo de situação:


Faça o que eu digo


- Procure saber os melhores dias de onda, com certeza vão render as melhores fotos, independente da fase.

John John em um bom dia de ondas na Barra da Tijuca.

- É sempre interessante procurar as sessões de fressurf que acontecem paralelas ao evento. Elas costumam render bastante, e as vezes em ondas até melhores do que as da área do campeonato. Em certas situações, dá para fotografar o campeonato e ficar de olho no fressurf ao lado, ou vice e versa. Assim, você ainda terá dois ângulos diferentes de ação. E além dos tops, vários bons surfistas se juntam a essas sessões na época do mundial.


Mick Fanning se aquecendo na Barra da Tijuca.

Joel Parkinson no freesurf ao lado.

- Evite perder a atenção. Conversas ou outras coisas acontecendo na areia só se for necessário. Principalmente em momentos cruciais, baterias importantes.


- Fique por dentro do que vai acontecer...das próximas baterias e chamadas. As vezes o campeonato começa do nada, como pode também terminar assim.



Faça o que eu faço


- O ideal é ter um bom jogo de lentes, mas como nem sempre é possível, recomendo sempre a movimentação pela praia a procura de diferentes quadros, assim o seu trabalho vai ter variedade. Cuidado para não perder tempo em um quadro que não vá render, costumo sempre olhar as fotos na câmera e fazer uma análise superficial de momento para determinar em minha cabeça o potencial daquele quadro.


Jadson André William Cardoso Owen Wright


- A multidão pode atrapalhar, mas também pode ser parte do quadro. O mundial é uma ótima oportunidade para fotografar com pessoas em primeiro plano, isso pode dar uma estética diferente a foto além de passar algum sentimento, como uma comemoração da torcida por exemplo.


Miguel Pupo no palco do Postinho.

John John Florence com dois espectadores.

- Os surfistas do mundial são máquinas de mandar manobras, aproveite para testar diferentes técnicas. Em dias nublados ou ainda com pouca luz, costumo tentar fotos em baixa velocidade e alguns resultados são bastante interessantes.


Davey Cathels em baixa velocidade.

Filipe Toledo em um fim de tarde na Barrinha.

- Durma cedo e acorde cedo. Não vá a festas e sociais e tente aparecer o menos possível em público. ( essa é uma dica totalmente pessoal, mas ajuda a manter a concentração em seu trabalho )


Ryan Callinan na Barra da Tijuca.

Italo!

Jordy Smith no Arpoador.

- Se o mar estiver bom e bonito, sempre vale fazer fotos mais abertas mostrando todo o line up. As vezes, ficamos focados demais na ação e esquecemos do cenário.


Nem parece, mas é o line up da Barra da Tijuca em um dia de evento.

John John, dessa vez com obturador em baixa velocidade.

- Tente sempre manter seus arquivos organizados por dia e algumas outras referências. Você pode fotografar o dia inteiro e ficar sem tempo para editar as fotos com calma depois, se for o caso, já tenha na mente as imagens mais importantes e dê prioridade à elas, o bruto pode ser visto com calma depois.


- Não olhe muito nos olhos de estranhos, eles podem querer ir falar com você! Brincadeira, os eventos são ótimas oportunidades para fazer bons e diferentes contatos, fique de olho em quem interessa e saiba se apresentar ( uma boa foto é sempre uma boa maneira )...mas sem perder muito o foco no surfe.


- Beba água.


Ahhh, não tinha como deixar de fora o Medina.

E nem as meninas. Tatiana Weston Webb

Essas são apenas algumas dicas da minha pequena experiência fotografando eventos, mas quase sempre tentando uma abordagem diferente. Não é uma receita de bolo, muito menos um livro de regras, mas uma ou outra coisa desse texto pode ser pinçada e bem usada.



0 visualização
  • Black Instagram Icon
0